Direitos Trabalhistas

O Que Pode Causar Doenças Relacionadas ao Trabalho?

As doenças relacionadas ao trabalho ainda representam um grande desafio para muitas empresas. Afinal, essa é considerada uma das principais causas de afastamentos dos colaboradores de suas funções, levando a perdas generalizadas nas organizações.

De prejuízos na produtividade e rendimento em processos internos, a prejuízos no faturamento, são várias as consequências que uma empresa pode sofrer com o afastamento de colaboradores por doenças ocupacionais.

Além disso, caso a empresa não adote as medidas necessárias para corrigir e prevenir o problema, a mesma fica suscetível a ações trabalhistas, resultando também em perdas financeiras e em sua imagem no mercado.

Por isso, muito mais do que remediar a situação é importante adotar medidas visando a prevenção de doenças ocupacionais no trabalho. Para isso, um passo importante é saber identificar o que pode causar essas patologias na rotina laboral.

Acompanhe esse artigo e entenda mais sobre o que são as doenças relacionadas ao trabalho, o que pode causa-las, assim como também a importância de prevenir que problemas como esse aconteçam no ambiente de trabalho. Confira!

Doença ocupacional o que é?

O Que Pode Causar Doenças Relacionadas ao Trabalho?

Também conhecida como doença profissional ou doenças relacionadas ao trabalho, as doenças ocupacionais são todas aquelas que decorrem em virtude do exercício da função do trabalhador na empresa.

Em outras palavras, trata-se de um problema de saúde que tem como causa principal as atividades que o empregado executa em sua rotina de trabalho.

Por exemplo, quando um profissional que trabalha com digitação e não há os cuidados preventivos adequados, as chances dele desenvolver uma Lesão por Esforço Repetitivo (LER) são altas, sendo esta condição classificada como doença ocupacional.

Do mesmo modo, existem algumas patologias que a legislação trabalhista vigente não considera como doenças relacionadas ao trabalho. É o caso, por exemplo, das doenças degenerativas como Parkinson ou Alzheimer. Doenças etaristas, como osteoporose e reumatismo e doenças endêmicas como tuberculose também se enquadram nesse grupo.

O Ministério da Saúde, atualizou recentemente a lista de doenças ocupacionais adicionando mais algumas patologistas. Com essa atualização, a lista passou de 182 para 347 patologias. Entre as doenças adicionadas estão Covid-19, uso abusivo de drogas, síndrome de burnout, tentativa de suicídio, entre outros.

Saiba o que pode causar doenças relacionadas ao trabalho

Além de saber sobre doença ocupacional o que é e quais são essas patologias, também é fundamental identificar suas causas no ambiente de trabalho. Por isso, a seguir listamos as doenças relacionadas ao trabalho mais comuns e suas respectivas causas prováveis.

Lesão por Esforço Repetitivo (LER)

Essa é uma das doenças ocupacionais que pode acometer profissionais em diferentes cargos e funções. Contudo, ela é mais comum em atividades que exigem repetição de movimentos e esforços excessivos.

Entre as causas para o desenvolvimento de LER no ambiente de trabalho, estão:

  • Postura incorreta
  • Içamento de pesos incompatíveis com a capacidade física do trabalhador
  • Jornada de trabalho longa e com poucas pausas para descanso
  • Estrutura de trabalho inadequada, como cadeiras e mesas sem ergonomia necessária

Quando não identificados e corrigidos a tempo, as causas de LER podem desencadear o surgimento de vários sintomas e doenças. Dores musculares, bursite, lombalgia e tendinite são algumas delas. Por isso, a prevenção é sempre o melhor caminho.

Transtornos psicossociais

doenças relacionadas ao trabalho

Segundo Observatório de Segurança e Saúde do Trabalho, os transtornos psicossociais foram a terceira maior causa de afastamento do trabalho no Brasil em 2021.

Geralmente, essa é uma das doenças relacionadas ao trabalho que decorre em função de várias causas. O que inclui desde pressão excessiva no ambiente de trabalho, até conflitos nas interrelações corporativas, sobrecarga de tarefas, metas inatingíveis, ambiente de trabalho estressante, entre outras motivações.

Como consequência, o trabalhador passa a desencadear uma série de problemas que afetam seu rendimento no trabalho, como estresse, ansiedade e até depressão.

Problemas auditivos

Assim como a LER, os problemas auditivos também são doenças relacionadas ao trabalho muito comuns. Geralmente, elas são causadas pela exposição inadequada do trabalhador a ruídos e barulhos elevados e de maneira constante.

Além disso, outros fatores podem causar problemas auditivos no ambiente de trabalho. A exposição da audição a vibrações excessivas, assim como a altas temperaturas e substâncias químicas são algumas delas.

Existem uma série de profissões que estão mais sujeitas a esses riscos e, portanto, ao acometimento de trabalhadores com transtornos auditivos, como empregados de gráficas, metalúrgicos, pilotos de avião, músicos, trabalhadores da construção civil, entre outros.

A prevenção de problemas auditivos ocupacionais começa com medidas que possam assegurar a saúde e segurança no trabalho. Por isso, promover o isolamento ou a diminuição da fonte de ruído é uma boa medida preventiva.

Além disso, reduzir os períodos em que o trabalhador fica exposto aos ruídos, assim como o adequado uso de EPIs também representam maneiras de evitar que essa doença ocupacional acometa os colaboradores no seu ambiente de trabalho.

Asma ocupacional

Outra enfermidade que está entre as doenças relacionadas ao trabalho é a asma ocupacional. Normalmente ela é causada pelo estreitamento e obstrução das vias respiratórias pela inalação indevida de poeira, partículas ou vapores no local de trabalho levando a uma reação alérgica.

Em ambientes cujo serviço está relacionado a manipulação de materiais como madeira, borracha ou algodão, o risco de desenvolver esse transtorno é ainda maior. Nesse caso, o uso adequado de EPIs como máscara para proteção das vias respiratórias é fundamental para prevenir essa doença.

Transtornos na visão

Trabalhadores que atuam no segmento industrial, como em siderurgias ou metalúrgicas, assim como também na construção civil em canteiros de obras, por exemplo, podem sofrer com problemas na visão, levando até mesmo a cegueira permanente.

Entre as principais causas de doenças oculares relacionadas ao trabalho, estão:

  • Exposição a ácidos, calor excessivo, luz ultravioleta e/ou laser entre outros agentes nocivos a saúde do olho
  • Lesões decorrentes de traumas direto na estrutura ocular, como contato acidental de objetos ou corpos estranhos como cimento, poeira, lascas de madeira, entre outros no olho.

O uso correto de EPI como óculos de proteção é uma das medidas que ajuda a prevenir patologias na visão e o afastamento do trabalhador por doença ocupacional.

Qual a importância de prevenir doenças relacionadas ao trabalho

Independentemente do porte da empresa, adotar medidas que previnam doenças relacionadas ao trabalho é fundamental. Afinal, além de assegurar a manutenção do bem-estar, da saúde e segurança do trabalhador, essa é uma prática que também:

  • Reduz os números de licenças e afastamento de empregados de suas funções
  • Melhora a qualidade de vida no ambiente de trabalho
  • Previne o absenteísmo nas empresas
  • Interfere nos valores cobrados por planos de saúde, uma vez que diminui o índice de sinistralidade
  • Previne a ocorrência de ações trabalhistas e até mesmo rescisão indireta do contrato de trabalho em função de doenças ocupacionais

Além disso, com a prevenção de doenças ocupacionais, também há um aumento de produtividade e rendimento nos processos internos. Consequentemente, isso levará a uma melhora nos resultados e maior faturamento para as empresas.

Por isso, promover um ambiente de trabalho seguro evitando as possíveis causas de doenças relacionadas ao trabalho deve ser o foco de toda empresa.

Ainda com dúvidas sobre as doenças relacionadas ao trabalho? Fale com nossos especialistas e aprofunde seus conhecimentos sobre as obrigações e direitos relacionados ao tema.

Mostrar mais

Gilberto Vassole

Advogado atuante na área do Direito Previdenciário, Trabalhista e Direito Empresarial. Membro efetivo da comissão de direito do trabalho da OAB/SP, Pós Graduado e Mestre em Processo Civil.

Artigos relacionados